feira

A feira livre da cidade de Monteiro surgiu no final do século XIX.

Os mantimentos eram vendidos em sacos de pano de algodão.  Os cereais da época era o feijão, açúcar de rapadura, farinha de mandioca, café em grão e o milho.

Eram expostos na avenida principal próximo a antiga capela. No início do século XX, a feira livre era dentro do espaço da Praça Epitácio Pessoa (hoje Praça João Pessoa).  Na década de 30, o prefeito Ageu de castro construiu um mercado dentro do espaço da praça.

Entre as décadas de 20 e 30 o comercio já era bastante forte devido ao ouro branco como era chamado o algodão. Existia nesta época as grandes casa comerciais a exemplo.

 

Casa Olímpio – Olímpio Gomes

Jornal o Progresso – Euclides Mesquita

Agencia da Ford – Inácio Feitosa

A Villa Nova – Jose Faustino

Escritório de Advogacia – Antonio Nunes de Farias

Gama & Irmão – Marcolino Mayer

A Paraybana – Nestor Bezerra

Foto – Chrispiniano Neves

Armazém de compra de pelle e Algodão – Francisco Cândido

Casa Progresso – Inocêncio Lopes

Dentista – Jose A. Japyassu

Casa Brindeiro – Francisco Brindeiro

Farmácia Santa Terezinha – Augusto Campos

Farmácia São Francisco –  Alcindo Bezerra

Consultório Médico – Dr. Deocleciano Pereira

Em 1949 na administração do prefeito Sebastião Cesar de Melo teve início da construção do mercado público daí por diante foi transferida a feira que era na rua central pra o espaço do mercado público.