O deputado estadual João Henrique trouxe à tona a problemática do fechamento de agências do Branco do Brasil e dos Correios e Telégrafos na região de Princesa Isabel, no Alto Sertão paraibano. O pronunciamento aconteceu da tribuna da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), após o parlamentar se reunir com o ex-candidato a prefeito da cidade de Tavares, Coco de Odálio, que relatou as dificuldades da população de Tavares e região em relação aos serviços bancários.

O fechamento de agências que atendiam as cidades sertanejas de Manaíra, Juru, São José, Tavares, Água Branca, Imaculada e Matureia, tem trazido transtornos para comerciantes e pessoas que dependem do banco para sacar dinheiro de salários, aposentadorias e outras transações.

“Ouvi os relatos do ex-candidato a prefeito Coco de Odálio e a situação é caótica e preocupante. A região de Princesa está clamando por uma solução. Apenas a agência da cidade de Princesa Isabel está funcionando e atendendo a toda população da região. Além da super lotação, há o deslocamento de quilômetros de uma cidade para outra, onde uma população carente não tem condições. Por exemplo, quem mora em Imaculada e necessita dos serviços bancários, só encontra agencia em Princesa Isabel, Patos ou Pernambuco”, falou o deputado.

O político disse que é preciso dar um basta nesse cenário que, para o deputado, é lastimável. “Vamos fazer uma audiência pública na região do Alto Sertão para dar um basta nessa problemática. Deixo aqui um apelo da população carente do Alto Sertão para que a superintendência do Banco do Brasil traga uma solução plausível. A direção dos Correios também será chamada para se explicar. O Cariri e o Alto Sertão pedem socorro”, disse.

Para o deputado, o baixo contingente da Polícia Militar pode estar proporcionado às explosões na Paraíba. “Deveríamos ter cerca de 18 mi policiais, mas temos pouco mais de 9 mil e na ativa no dia dia, uns 2.500 mil. Na cidade de Manaíra, por exemplo, tem dois policiais. Em Serra Branca, uma população com mais de 20mil habitante há 3 PMs, além de delegacias fechadas no Cariri e Sertão. O governador chegou a dizer que as explosões não são de responsabilidade do Governo do Estado. É essa a situação que estamos submetidos e os moradores estão entregues aos seus próprios destino”, lamentou João Henrique.