1

 

O vice-prefeito de João Pessoa, Nonato Bandeira (PPS), anunciou hoje oficialmente o apoio do partido que dirige estadualmente à pré-candidata do PSB à prefeitura da capital paraibana. Em um ato na Associação Paraibana de Imprensa, o PPS confirmou a informação dada desde ontem de que ficaria ao lado dos socialistas na disputa municipal. Mais do que isso, Nonato fez uma leitura peculiar do quadro político no município. Ele disse que eleição de Luciano Cartaxo, em 2012, se deveu ao desejo do eleitorado de manter o projeto de gestão implantado pelo ex-prefeito Ricardo Coutinho e continuado pelo vice, Luciano Agra, que assumiu o cargo quando do afastamento de Ricardo para concorrer ao Governo do Estado.

“Luciano foi eleito pelo pessoense que desejava a continuidade daquele projeto na prefeitura de João Pessoa. Mas, ele não entendeu e interrompeu esse processo. Não sei, aliás, se ele não entende ou não quer entender. Na Saúde, há uma diferença enorme. Quem precisa de hemodiálise, tem que ir para Campina Grande porque equipamentos foram mantidos encaixotados na prefeitura de João Pessoa e não se tem um atendimento adequado”, disse Nonato.

O vice-prefeito se queixou de uma onda de ataques vinda da equipe do atual prefeito contra sua imagem e honra: “Eles partiram para tentar me desqualificar. Alguns secretários me disseram que foram pautados para fazer isso, mas não tiveram coragem. Essa gestão é da maquiagem. O pessoense quer obra concreta como o fim da Ruy Carneiro que descortinou o mar? Luciano Agra e Ricardo Coutinho fizeram. Da mesma forma, na Pedro II e na frente da UFPB. Agora, tem o acesso ao Altiplano que faz mais de um ano e meio e não se conclui. O prefeito só inaugura obra de fachada ou que não funciona, ou que não se conclui. Mas, o prefeito critica atualmente as plenárias populares e não foi à maioria das audiências do Orçamento Participativo”, disse o jornalista.