2

A Polícia Civil, através da Delegacia Especializada em Crimes contra o Patrimônio (DRF/CG), vem intensificando as ações e desde a data de ontem está realizando uma grande operação, denominada Espelho Mágico, visando localizar e prender integrantes de quadrilhas especializadas em clonagens com adulteração de veículos roubados/furtados, com posterior distribuição dos veículos clonados em vários estados do Nordeste.

Quatro pessoas foram presas, entre elas dois paraibanos, sendo um deles um policial militar reformado, suspeitas de formação de quadrilha e clonagem de veículos. A prisão aconteceu nesta sexta-feira (19), em Campina Grande. O grupo agia na Paraíba, em Sergipe, Pernambuco e na Bahia e pode ter uma ramificação com uma outra quadrilha que também pratica o mesmo crime.

Segundo a delegada Ellen Souza, da Polícia Civil em Campina Grande, as prisões aconteceram em uma investigação da operação ‘Espelho Mágico’. Além dos paraibanos, dois sergipanos também foram presos.

“Essa quadrilha é responsável por roubar e clonar veículos, distribuindo eles por vários estados do Nordeste. Eles transportavam esses carros em caminhões e realizam o comércio. Dois dos presos são paraibanos. O policial vai aguardar audiência de custódia, mas uma juíza já deferiu o pedido de prisão preventiva dele”, contou a delegada.

Entre os presos está um cidadão de Pocinhos – PB, conhecido por Lindinaldo, ele que vendeu um Pálio para o serra-branquense Fabio T Grangeiro, onde o mesmo se envolveu em um acidente na BR-412, próximo a cabrita em 23 de setembro de 2015.

Após cinco dias foi constatado pela polícia que esse palio tinha sido roubado em Brasília e encontrava-se clonado, o comprador Fabio T Grangeiro informou a polícia de onde foi a procedência do veículo.

Os trabalhos da operação foram intensificados e os suspeitos foram presos nesta sexta-feira.

Ainda segundo a delegada, a investigação continua e outras pessoas podem ser presas neste fim de semana, inclusive na próxima segunda-feira haverá uma coletiva às 10:00 na sede da polícia.

Com informações de Emanuel Alysson