O ex-deputado estadual e estudioso na área de Recursos Hídricos, Assis Quintans (DEM), falou sobre as obras do eixo Leste da transposição do Rio São Francisco e afirmou que nunca viu na Paraíba uma obra ser inaugurada duas vezes por duas autoridades diferentes.

Ele comentou que existe muita difusão sobre a conclusão das obras, quando ainda existe muito trabalho a ser feito, seja pelo Governo Federal ou Estadual.

– Fico alegre porque, historicamente, toda a Paraíba, todo o Nordeste e até todo o Brasil tem conhecimento que a revista ‘Isto É’  trouxe uma reportagem, no início da década de 90, me trazendo lutando por essa transposição – lembrou.

Quintans alegou que as obras não apresentam um sistema de operação e controle automático, o que é necessário para uma obra da dimensão da transposição.

Ele explicou que é preciso concluir as obras de algumas estações de bombeamento e realizar as obras de frenagem.

O ex-parlamentar sugeriu que algum deputado estadual cobre que as condicionantes do Ibama sejam apresentadas, para que seja apurado se o Governo do Estado cumpriu com todas as obras complementares da transposição.

– O que precisamos mostrar a sociedade é que é preciso fazer muito ainda. Precisamos atender Campina Grande. A água de Campina Grande está de péssima qualidade e isso tem que ser de caráter de emergência. Se a água não vier da transposição, iremos fazer campo de futebol dentro da bacia hidráulica de Epitácio Pessoa – colocou.